sábado, 9 de setembro de 2017

Sobre o Mind Map



Um de meus coachees queixou-se das dificuldades para comprometer-se com uma nova situação que lhe era apresentada em sua vida pessoal, questão essa que estava relacionada à sua saúde e precisava imediatamente ser atendida, reclamava que seus pensamentos eram desorganizados e por isso não conseguia conter alguns comportamentos que o limitavam e tornavam seus objetivos distantes não encontrando soluções. Buscou o processo de coaching como uma forma de autoconhecimento para solucionar esta demanda específica.

Trabalhamos por algumas sessões com uma definição de objetivo claro e a avaliação de suas crenças e valores e por fim tivemos a oportunidade de construir uma ferramenta maravilhosa e simples que pôde ajudá-lo na tarefa de organizar suas ideias: O mapa mental (mind map) também conhecido como mapa conceitual.

Segundo Catalão e Penim (2012, p.173) “Um mapa mental é um diagrama usado para interligar palavras, ideias e sub temas a uma questão/tema central, representando assim conexões entre vários pontos de informação”. A execução do mapa mental é relativamente simples, elegemos um tema central sobre o qual se deseja trabalhar, a partir desse tema buscamos as possibilidades e variáveis decorrentes da ideia central criando vários níveis e ramificações.

O mapa pode ser personalizado para atender as particularidades de cada pessoa: pode ser realizados em ciclos, ramificações, de forma horizontais ou verticais, pode conter imagens, figuras de orientação, palavras chaves, breves definições, ser elaborado em cartolina, cadernos, agendas ou mesmo de forma digital, atualmente existem diversos aplicativos e sites para o desenvolvimento do mapa mental, pode ser elaborado de forma individual ou construído em coletividade, abordar questões pessoais e profissionais, sem restrições. A partir do mapa mental também é possível buscar alternativas, expandir horizontes de ideias e decisões a serem considerados com relação à temática central.

O mapa mental é uma ferramenta útil e criativa para diversas situações como ordenação de ações, brainstormings, estruturação de projetos, resolução de problemas, processos de ensino e aprendizagem, memorização entre outras, favorece a compreensão dos aspectos relevantes ao tema central, indica percepções acerca da temática e funcionam como um follow up para os processos de coaching de uma forma geral, visto que é possível inserir em sua estrutura tarefas a serem realizadas ou questões e pontos para reflexões. Da próxima vez que precisar tomar uma decisão ou estudar para uma apresentação que tal construir seu próprio mapa menta?!



Referência

CATALÃO, João Alberto ; PENIM, Ana Teresa. Ferramentas de coaching. 6ª ed., Lisboa: Lidel, 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre nós

O GEPLICO propõe caracterizar a liderança e o Coaching, ao pesquisar e descrever o processo de liderança e de Coaching, bem como aferir os seus resultados. Desta maneira busca sistematizar e divulgar o processo de liderança e Coaching e seus impactos sociais e organizacionais, por meio deste blog socializa conhecimento com uma linguagem simples e acessível para contexto virtual de modo contemporâneo, bem como produz pesquisas e materiais científicos que subsidiem as teorias, técnicas, práticas, metodologias relacionadas a Liderança, Coaching e a Liderança Coaching.